Programação

  • Tecnologias Sustentáveis, Educação Ambiental e Ecoética

    AVISO

    CURSO AINDA EM FORMATAÇÃO

    ABERTO PARA TESTES

    http://mostracinemaedireitoshumanos.sdh.gov.br/2015/democratizando/

    http://tecnologiasinclusivas.ufsc.br/

    11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

    Criada em 2006 como uma das ações estratégicas da Secretaria Especial de Direitos Humanos para celebrar o aniversário da Declaração Universal de Direitos Humanos, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, a Mostra Cinema e Direitos Humanos foi expandida ao longo dos últimos 10 anos e, atualmente, ocorre em todas as capitais federais do Brasil. A Mostra é uma das estratégias do Governo Federal para consolidação da cultura e da educação em Direitos Humanos, ampliando espaços de debate e discussão por meio da linguagem cinematográfica e contribuindo para a formação de uma nova mentalidade coletiva para o exercício da solidariedade, do respeito às diversidades e da tolerância. Nestes dez anos, a Mostra expandiu em alcance e em escopo – da América do Sul para o Hemisfério Sul, e no Mundo, além de contar, pelo quarto ano consecutivo, com cerca de 1.000 pontos de difusão pelo país, assumindo assim um caráter descentralizador e democrático.

    A 11ª Mostra Cinema e Direitos Humanos é realizada pelo Ministério dos Direitos Humanos.

    Mostra gratuita e aberta ao público em geral.

    Haverá certificado de extensão para os participantes.

    Programação: 03/11/2017 

    Programação: 17/11/2017 

    Formulário de inscrição: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdwUz0igyTgMkw3AP6-RTxoG_Giu2CPV3Z4FBFE2rWkFSpG6A/viewform

    Facebook Mostra Araranguá  https://www.facebook.com/events/430102134052481

    Facebook Mostra Nacional

    https://www.facebook.com/11amostracinemaedireitoshumanosbrasil/

    Coordenação geral do Projeto:

    Prof. Giovani M. Lunardi - UFSC/Araranguá.

    Prof.a Angelita D. Mendes - UFSC/Araranguá

    Coordenação da Mostra em Araranaguá: Mestrando PPGTIC Prof. Claudimir Geraldo Da Silva

    • Equipe do Projeto:

    Gabriela Leopoldino - Fisioterapia/UFSC

    Vanderleia Benedet Réus - PPGTIC/UFSC

    Natana Lopes Pereira - PPGTIC/UFSC

    Natalia  Marcos - TIC/UFSC

    Ricardo de Bittencourt  - TIC/UFSC


    Prof. Giovani M. Lunardi
    Fone/whatsapp: (48) 99602.6500
  • Tópico 1

    Tópico desenvolvido por Leonardo Nunes e Francisco Vefago

    Snapgrid - Gerador de Consumo Energético

    Após incorporar funcionalidades ecológicas à consagrada linha de produtos high tech, a  iHouse, empresa líder em automação residencial e náutica com produtos de alta tecnologia, design e acessibilidade, lança o Snapgrid, inovação mundial que gerencia o consumo energético das residências. “A preocupação ecológica é uma forte tendência e iremos agregá-la aos novos produtos da companhia, assim como aconteceu no desenvolvimento do Snapgrid, que chega ao mercado para auxiliar os consumidores a adotarem o consumo consciente”, afirma Leonardo Senna, sócio e fundador da iHouse.

    Instalado na porta do quadro de disjuntores da residência, o Snapgrid monitora 24 horas por dia o gasto de energia elétrica, em quilovates ou reais, de ambientes ou equipamentos pré-determinados pelo usuário. No modelo G160, 16 equipamentos podem ser monitorados, mas o número pode ser ampliado para atender às necessidades de apartamentos maiores.

    Tela snapgrid

    O consumo de energia elétrica por ambiente ou equipamento é apresentado no painel de cristal líquido do produto de três formas diferentes: modo instantâneo (consumo no exato momento da consulta, sendo atualizado a cada um minuto), opção acumulado (soma do consumo iniciado após a leitura pela empresa concessionária de energia elétrica até a data de consulta) ou como previsão para o mês (estimativa mensal baseada no consumo médio dos últimos dias). Além disso, o Snapgrid pode exibir o relatório de consumo dos últimos 12 meses.

    Também é possível visualizar a lista de ambientes ou equipamentos que mais consomem ou vêm consumindo energia elétrica, bastando deslizar o dedo sobre a tela LCD que é sensível ao toque e apresenta ótima dimensão. Outros diferenciais do Snapgrid são a iluminação feita por LEDs e o design moderno do gabinete, que valoriza ainda mais o ambiente.

    “Com o uso do Snapgrid, a família poderá identificar onde há desperdício e, assim, adotar novos hábitos de consumo. A utilização consciente da energia elétrica irá refletir na diminuição do valor da conta de energia e na preservação do planeta”, explica Senna.

    O produto ainda traz o opcional de acesso a relatórios via Internet. Exibidos em forma de gráficos coloridos e de fácil compreensão, eles mostram o consumo por ambiente e por equipamento durante o mês, no dia-a-dia, ou destaca os pontos de maior consumo de energia elétrica, por exemplo.

     Gráfico que identifica os vilões do consumo de energia elétrica

    Fonte: https://www.tecmundo.com.br/touchscreen/3875-ihouse-lanca-gerenciador-de-consumo-energetico-para-residencias.htm

    • Tópico 1 - Filosofia e Ética Ambiental

    • Tópico 2 - Energias Renováveis

      Tópico Autores: Maycon Antônio Daniel, Michael dos Santos Fernandes. 

    • Tópico 3 - Jogos Online, Aplicativos tecnológicos sustentável

      Tópico Autores: Maycon Antônio Daniel, Michael dos Santos Fernandes. 

      Neste tópico é abordado, dois jogos e apps que fazem referência ao meio ambiente, tem como objetivo educar as pessoas no âmbito ecológico. 

      APP: Sai Desse Banho:

        

      APP: Manual de Etiqueta - Planeta Sustentável

         

    • Tópico 4 - Questionário

      Tópico Autores: Maycon Antônio Daniel, Michael dos Santos Fernandes.

    • Tópico 5 - Enquete

      Tópico Autores: Maycon Antônio Daniel, Michael dos Santos Fernandes. 

      • Tópico 6 - Tecnologias Sustentáveis na Educação Ambiental e Ecoética

        Este tópico foi desenvolvido pelas acadêmicas Mayumi Arimura e Tamira Spanhol para a disciplina de Tópicos Especiais em Educação e Cultura Digital, do curso de Tecnologias da Informação e Comunicação da Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Araranguá, semestre 2017.1.

      • Tópico 7 - Educação Ambiental

        Tópico desenvolvido por Lucas Monteiro e Natália Zanolli

        "Entendem-se por educação ambiental os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade." 

        Política Nacional de Educação Ambiental - Lei nº 9795/1999, Art 1º.

        Ludo Educativo

        O Ludo Educativo apresenta jogos educativos onde se aprende jogando, todos são mais produtivos e comprometidos quando fazem algo que os diverte e interessa.

        Um “ensino ninja” é sua meta a curto prazo: conseguir que a criança aprenda sem notar que está praticando matérias curriculares (pré-concebidas como “chatas”) e, além disso, praticar habilidades sociais como o trabalho em equipe.

        Através de reforços positivos e recompensas imediatas, fazem com que, por repetição, o aluno associe que o conhecimento não é entediante, nem uma questão de memorização, mas sim de integração do conhecimento ao seu dia a dia.

        Jogo da Reciclagem



      • Planeta .doc

        http://www.planetadoc.com/

        Planeta.Doc Conferência: convite para professores e alunos da UFSC

        Não é mais possível desenvolver dois conjuntos paralelos de medidas, um para responder às necessidades sociais – “salvar a humanidade” – e outro para responder aos danos ecológicos “salvar o planeta”. O objetivo atual é combinar essas duas exigências solidárias na perspectiva de ação conhecida como socioambiental.

        A percepção da existência de limites do planeta, da degradação e dos riscos ecológicos, bem como das consequências humanas dramáticas destas degradações nos força, desde já,  a  repensar  as  relações entre  sociedade-natureza e a considerar danos ignorados por muito tempo.

        O Planeta.doc Conferência abre espaço para as ideias de renomados pensadores da Terra – tanto na área acadêmica quanto artística - e pretende contribuir ao necessário e protelado debate por meio de conferências presenciais e amplamente divulgadas posteriormente via redes sociais. Considera-se que esta janela para um mundo novo e surpreendente precisa ser criada e enaltecida como um espaço de transformação. 

         

        Professores da UFSC e seus alunos estão convidados a participar do Planeta.doc Conferência, evento que integra as ações da quarta edição do Festival Internacional de Cinema Socioambiental PLANETA.doc, e será realizado no dia 23 de outubro de 2017, em Florianópolis (SC), no Auditório Garapuvu, Centro de Cultura e Eventos da UFSC. O Festival exibirá cerca de 100 filmes socioambientais de todo o mundo. 

        Faça parte desse projeto cultural sem fins lucrativos. Inscreva-se na fanpage do PLANETA.doc Festival no Facebook, conheça mais o evento e veja algumas palestras que serão realizadas na Conferência 2016. Programação completa em breve.

        Festival Planeta.doc

        www.planetadoc.com 

        Saiba mais
         
        • Tópico 10

          tópico criado por Jean de Stefani, Mário Goulart, Danilo Arroyo

          Tecnologia em auxílio ao meio ambiente

          Usina solar flutuante gera energia e conserva água

          Há pouco tempo, engenheiros norte-americanos apresentaram uma tecnologia de baixo custo que pode ser utilizada para evitar a evaporação da água de represas e, com os devidos acréscimos, gerar energia.

          A empresa japonesa Kyocera foi bem mais longe, apresentando sua fazenda solar flutuante já totalmente pronta e operacional.

          São duas usinas solares flutuantes, cobrindo duas lagoas na cidade de Kato. A primeira gera 1,7 MWh (megawatts/hora), e a segunda gera 1,2 MWh - isto é suficiente para abastecer cerca de 1.000 casas.

          São 11.256 painéis solares no total, cada um com capacidade de 255 watts.

          À prova de tufões

          Segundo a empresa, além de evitar a perda de água das lagoas pela evaporação, painéis solares instalados sobre a água produzem mais energia por causa do efeito de resfriamento induzido pela água - as células solares operam de forma mais eficiente a temperaturas mais baixas.

          A cobertura também deverá reduzir a proliferação de algas, diminuindo o custo de tratamento da água das lagoas extraída para consumo humano.

          As plataformas de flutuação, construídas em polietileno, foram projetadas para suportar "estresse físico extremo, incluindo tufões", segundo a Kyocera.

          • China inaugura maior usina solar flutuante do mundo

            Enquanto os EUA sob o comando de Donald Trump parecem abdicar da liderança do combate às mudanças climáticas, a China, maior poluidora do mundo, continua avançando em projetos de energia limpa. Em maio, a firma Sungrow anunciou a entrada em funcionamento da maior usina solar flutuante do mundo, instalada num lago de uma mina de carvão desativada em Huainan, na província de Anhui.

            A usina tem capacidade instalada de 40 MW, energia suficiente para abastecer uma cidade com 15 mil residências. Em comunicado, a companhia explicou que a instalação num lago com água mineralizada reduz a demanda por terra e otimiza a produção de energia por causa da capacidade de resfriamento da superfície.

            Este é apenas mais um projeto de energia limpa construído na China. No ano passado, a região de Anhui inaugurou uma outra usina solar flutuante.

            O país também abriga o Parque Solar Longyangxia Dam, numa área de 25 quilômetros quadrados, considerado o maior do mundo.

            Essa transição para a energia solar é possível graças ao barateamento da tecnologia.

            Até 2020, a China pretende reduzir em mais de um terço os preços de equipamentos utilizados em projetos de usinas solares, o que tornará esse tipo de geração competitiva com o carvão.

            Desde o pico em 2013, o consumo de carvão no país vem caindo ano a ano. Pelo Acordo de Paris, a China se comprometeu a desacelerar as emissões de carbono, alcançando o pico em 2030, e aumentar a participação das fontes renováveis de energia para 20% da matriz energética instalada.


            BRASIL

            A primeira usina solar flutuante do mundo foi instalada no reservatório de Balbina, em Presidente Figueiredo, em 2016. O investimento que ultrapassa os R$ 100 milhões é para tentar compensar a baixa produção da hidroelétrica de Balbina. O vídeo é auto-explicativo, feito pela emissora de TV  Band Amazonas, afiliada a Bandeirantes.

            • Tópico 12

              Aplicativo para auxiliar descarte correto do lixo

              Programa mostra empresas próximas que recebem resíduo selecionado.
              Projeto foi finalista de competição e segue em desenvolvimento.

              Estudantes catarinenses criaram um aplicativo para computadores e celulares para ajudar no descarte correto do lixo. O usuário seleciona o tipo de resíduo que quer jogar fora e o programa informa os locais mais próximos que podem receber esse material. O projeto segue em desenvolvimento.

              Foi com a sensação de que muitas pessoas não sabiam como descartar certos tipos de material corretamente que os estudantes produziram o aplicativo. "A gente estava incomodado. Fizemos um levantamento e a maioria das pessoas não sabia onde descartar resíduo", afirmou Christian Engelmann, que estuda ciência da computação.

              Como funciona
              Produtos como lâmpadas fluorescentes, pilhas e eletrônicos não podem ser levados pelo caminhão da coleta seletiva. Os estudantes, então, juntaram-se com um professor especialista em resíduos sólidos para criar o aplicativo.

              "Basicamente, a pessoa entra na plataforma, através de um celular ou de um computador. Ela pode selecionar o tipo de resíduo que quer descartar. O aplicativo vai mostrar o ponto de descarte correto mais próximo do usuário. O usuário vai lá e seleciona, obtém pequenas informações sobre o estabelecimento ou sobre a empresa e consegue de forma prática achar onde destinar esse resíduo", explicou Jeison Cechella, estudante de engenharia ambiental.

              O projeto ainda está em desenvolvimento, mas já começa a chamar atenção. Os jovens foram finalistas de uma competição de empreendedorismo.

              Reaproveitamento
              A empresa de Solon Machado foi uma das primeiras a fechar parceria para estar no aplicativo. Ela recolhe qualquer tipo de material, principalmente o entulho da construção civil, seja de um prédio novo ou da reforma de uma casa.

              Quase 80% de tudo pode ser reaproveitado. "Ele [material] pode voltar para a construção civil normalmente como brita, rachão. E a própria areia fina, para rebocos em paredes", disse o empresário.

              "Nós queremos contribuir para uma sociedade mais sustentável, só que nós precisamos da ajuda das pessoas que querem descartar corretamente o resíduo, que levem a esses pontos dispostos na plataforma", finalizou o estudante Túlio Magnus, da engenharia ambiental.

              • Tópico 13

                Captura de carbono se dissemina como opção para frear aquecimento

                Atualmente com os perigos do efeito estufa no planeta, com a concentração em massa de dióxido de carbono (CO²) decorrentes da queima de combustíveis fósseis no setor industrial fez com que surgisse a necessidade de se empregar fontes de energia mais limpas como a solar ou a eólica.

                A preocupação com meio ambiente já existe a tempos desde 1930, onde algumas indústrias passaram a utilizar a captura de carbono e diminuir a emissão do gás poluente antes mesmo que saíssem das chaminés. Atualmente com avanço tecnológico essa captura já estão sendo feitas diretamente do ar.

                A nova tecnologia chama-se CARBON CAPTURE END STORAGE(CCS) – Captura e armazenamento de carbono. Ela se baseia em tecnologias tradicionais, segundo a CCS Association e uma tecnologia capaz de capturar até 90% das emissões de dióxido de carbono utilizado em processos industriais e na geração de energia.

                Esse processo funciona em 3 partes: CAPTURA, TRANSPORTE E ARMAZENAMENTO. Abaixo está descrito detalhadamente cada processo.

                Captura

                A captura de CO2 pode ocorrer por três formas e processos diferentes: -Pós-combustão: Após a combustão do combustível fóssil com o ar ocorre a captura do CO2 com o auxílio de um solvente que absorve e separa o CO2 de outros gases.

                 

                -Pré-combustão:  Antes que o combustível líquido, sólido ou gasoso seja submetido à combustão realiza-se a  captura o CO2   .Os combustíveis são processado em dois reatores de modo a resultar em CO2 e hidrogênio - sendo que este último pode ser usado como gerador de calor ou energia livre de CO2.


                -Combustão de oxi-combustível: Consiste na combustão do combustível primário com o oxigênio no lugar do ar para que o gás resultante seja, principalmente, constituído de vapor de água e CO2 facilitando a captura do carbono devido a sua maior concentração. Entretanto, esta técnica requer  a separação prévia de oxigênio do ar.

                Transporte

                O processo de captura e primordial para que o CO² possa ser comprimido e transportado por meio de dutos, mesma tecnologia empregado no transporte de gás natural, através de navios caminhões e outros meios. A empresa (CCS association) relata que já são transportados atualmente milhões de toneladas a cada ano utilizadas para fins comerciais e ressalta o significativo potencial existente no desenvolvimento dessa infraestrutura.

                 

                Armazenamento

                O armazenamento permanente desse gás é feito em baixo da terra nos seguintes locais: Aquíferos profundos, cavernas submersas ou domos de sal, que já sao naturalmente reservatorios de gas e oleo e camadas de carvão. Essas formações sao encontrada quilômetros abaixo da superfície mantendo o CO² armazenado longe da atmosfera, onde seu impacto negativo é praticamente nulo.

                           1.A tecnologia desenvolvida pela Petrobras filtra o CO2 do gás natural e o armazena  2. O CO2 separado é reinjetado nos poços, o que ajuda a manter a pressão nos reservatórios 3. O aumento da pressão melhora o bombeamento do óleo, que sobe com mais facilidade

                1.A tecnologia desenvolvida pela Petrobras filtra o CO2 do gás natural e o armaze

                2. O CO2 separado é reinjetado nos poços, o que ajuda a manter a pressão nos reservatórios

                3. O aumento da pressão melhora o bombeamento do óleo, que sobe com mais facilidade

                 No Mundo

                                                                                

                No Brasil

                           

                No Brasil o projeto e operado pela Petrobras nas plataformas localizada na cidade de Angra dos Reis e na cidade de Paraty, no campo de lula, e na cidade de São Paulo, campo de Sapinho à. De acordo com a companhia, no ano anterior, foi atingida uma marca de três milhões de toneladas de CO² separados do gás natural e injetados novamente no pré-sal da Bacia de santos.

                 

              • Tópico 14

                • Tópico 15

                  • Tópico 16

                    • Tópico 17

                      • Tópico 18

                        • Tópico 19

                          • Tópico 20

                            • Tópico 21

                              • Tópico 22

                                • Tópico 23

                                  • Tópico 24

                                    • Tópico 25

                                      • Tópico 26

                                        • Tópico 27

                                          • Tópico 28

                                            • Tópico 29

                                              • Tópico 30